17/05/2010

A insônia do Papa


A radical incompreensão de Roma Conciliar em relação ao que o movimento Tradicional Católico representa, foi realçado mais uma vez em Paris, quarta-feira passada, quando o Cardeal Kasper, presidente do Pontifício Conselho para a Promoção da Unidade dos Cristãos e com os judeus, deu uma conferência a imprensa. A partir do relatório Reuters deixe-me citar o mais fielmente possível o que o Cardeal pensa, resumido em cinco proposições, e, em seguida, comentar.

1) As discussões doutrinárias, atualmente acontecendo a cada dois meses, entre quatro teólogos de Roma, e um bispo e três padres da Sociedade de São Pio X, não está sendo fácil.

2) O principal problema é o conceito de tradição. "Nós queremos uma tradição viva ou uma tradição petrificada? perguntou o Cardeal.

3) Ele disse que é favor desse diálogo com a FSSPX, mas que tem de ser nas condições de Roma e não nas da FSSPX.

4) Caso um acordo seja alcançado, a FSSPX terá que fazer concessões e aceitar as reformas Conciliares.

5) Sem um acordo, a FSSPX não terá status oficial, seus sacerdotes não serão reconhecidos como padres católicos, nem serão permitidos exercerem os seus ministérios.

(1) É claro que não é fácil conciliar 2 + 2 = 4 (Tradição e FSSPX), com 2 + 2 = 4 ou 5 (Concílio Vaticano II e Roma Conciliar). Estamos na presença de duas concepções profundamente diferentes de aritmética, assim como de duas concepções profundamente diferentes da Verdade Católica.

(2) 2 + 2 = 4 é verdade, imutável e inalterável, portanto, "tradicional". 2 + 2 = 4 ou 5 é uma nova aritmética, mais "viva" do que nunca, ainda que totalmente irreal, e por isso, de forma alguma, tradicional.

(3) Se alguém está discutindo a verdadeira aritmética, será no termo da verdadeira aritmética e não sobre os termos de quaisquer das partes que estão a discutir; mesmo que uma das partes se posicione nesses termos.

(4) Quem é que quer ou precisa chegar a um acordo em que 2 + 2 = 4 ou 5 (Vaticano II)? Somente os vendedores de fantasia que não se importam mais com a verdadeira aritmética!

(5) Se o "status oficial", o "reconhecimento como sacerdotes" e a "autorização pra ministrar" dependem da aceitação de que 2 + 2 pode ser 4 ou 5, então todos esses "status", "reconhecimento" e "permissão", estarão sendo comprados pelo preço da Verdade. Mas se eu vender a Verdade, como eu ainda poderei pregá-la? E se já não posso pregar a verdade, que tipo de padre poderei ser, com que tipo de ministério?

Portanto, para concluir, não é apenas na "tradição", mas na própria natureza da verdade que esses romanos e a FSSPX se separam. Alterando a verdade, esses romanos perderam a verdade, de fato eles estão, pelo menos objetivamente falando, assassinando-a, como Macbeth "assassina o sono" (II, 2). Com efeito, o artigo Reuters o Papa é citado como tendo dito que o problema da FSSPX anda "roubando seu sono". Santo Padre, acredito que a verdade está muito acima da FSSPX, que nada mais é que um dos seus pequenos e momentâneos defensores. Cada um de nós na FSSPX deseja-lhe todo tipo de bem, especialmente para dormir bem. Não é a FSSPX, mas a Verdade assassinada, que anda deixando-o acordado durante a noite.



Kyrie Eleison

Um comentário:

sublime disse...

Grande Dom Williamson! Suas palavras são duras porque são verdadeiras, e tem tradicionalista que ainda não compreende isso.