26/07/2010

Devemos recitar os mistérios luminosos do Rosário?



Foi em sua Carta Apostólica Rosarium Virginis Mariae, de 16 de Outubro de 2002, que o Papa João Paulo II tentou modificar o Rosário; dentre essas mudanças, o mesmo adicionou 5 novos mistérios chamados mistérios luminosos (ou da luz), distinguindo-se dos Gozosos, Dolorosos e Gloriosos.


Essa carta que, infelizmente, tenta promover o Rosário, é completamente contaminada pelo Naturalismo, e considera o Rosário como uma experiência psicológica similar as orações e meditações das religiões não-católicas. Por isso a importância da "implicação antropológica do Rosário" (25) , fazendo compreensível o mistério do homem. Dentre as "melhorias" implementadas no Rosário proposto, os 5 novos mistérios da luz são o 'carro-chefe' de tal proposição, eles foram especialmente escolhidos de forma a não ofender os protestantes, aonde todos os mistérios são descritos no Evangelho, mas nenhum mencionando explicitamente a Virgem Maria. Isso se alinha com a intenção do Papa em tornar o Rosário mais "cristocêntrico", o que significa, na prática, torná-lo menos Mariano.

Os 5 "significantes" e "luminosos" momentos que ele escolhe são:

.O Batismo no Rio Jordão

.Sua Manifestação em Caná

.A Proclamação de Seu Reinado e o chamado a conversão

.Sua Tranfiguração

.Instituição da Eucaristia

Todos esses são belos eventos retirados do Evengelho e apreciados como manifestações da bondade de Jesus, na qual Ele se mostra presente em Seu Reinado com Seu poder e misericórdia. Mas é interessante notar que, nenhum deles possui ligação direta com o Mistério da Redenção, somente a instituição da Eucaristia apresenta uma ligação indireta com tal plano no sentido dela ser a fundação da renovação incruenta. A introdução desses mistérios são, então, um esforço para ofuscar/apagar o foco tradicional nos essenciais mistérios da Redenção, contidos nos Gozosos, Dolorosos e Gloriosos mistérios.

Não é por nenhum acidente que os tradicionais mistérios do Rosário sejam focados, inteiramente, no mistério da Redenção; preparados nos mistérios Gozosos, cumpridos nos mistérios Dolorosos e aplicados nos mistérios Gloriosos. Se a tradição nos concedeu-os dessa forma, é porque esses são os mistérios que nossas almas precisam meditar para (alcançar) a salvação eterna. Em uma das suas Encíclicas anuais sobre o Rosário, o Papa Leão XIII explica que:

5. Além do valor que o Rosário tira da própria natureza da oração, ele contém uma maneira fácil para fazer penetrar e inculcar nas almas(...) ordenadamente repetida, ele nos leva à recordação e à contemplação dos principais mistérios da nossa religião: em primeiro lugar, daqueles pelos quais "o Verbo se fez carne" e Maria, Virgem intacta e Mãe, lhe prestou com santa alegria os seus maternais ofícios. Vêm depois as amarguras, os tormentos, a morte de Cristo, preço da salvação do gênero humano.

Finalmente, são os mistérios gloriosos(...) (Magnae Dei Matris, 8 de Set., 1892)



A razão para essa mudança de orientação é, para pouco a pouco, mover nossa atenção para longe do mistério da Redenção (entendida como a compra das almas dos pecadores), comprando-nos de volta de nossos pecados através da satisfação de nossas ofenças cometidas contra Deus. A teologia moderna do Mistério Pascoal pensa que isso já não se faz mais necessário, que Deus não é tão infantil para requerer pagamento pelos pecados e que, consequentemente, tudo o que precisamos é refletir nas manifestações de amor, gentileza, e glória de Deus, pois "Cada um destes mistérios é revelação do Reino divino já personificado no mesmo Jesus". (Rosarium Virginis Mariae, 21)

O resultado da recitação desses luminosos mistérios será a dessacralização do Rosário, a perda do específico foco Mariano, mudando assim nossa atenção para longe da união com o ato de Cristo em Sua Redenção, pela qual unicamente podemos ser salvos de nossos pecados. Pouco a pouco se tornará vazio, estéril, e não será mais rezado. Consequentemente, temos que recusar essa "melhoria" opcional e, ao contrário, nos ater a velha e aguerrida Tradição da Igreja que santificou tantas gerações de santos. Apesar de não ser pecado recitar esses mistérios da luz (per se) com os Católicos modernos, nós certamente temos que desencorajar suas recitações e evitar comprar e/ou disponibilizar panfletos ou livretos que apresentam os mistérios da luz.


Padre Peter Scott
Angelus Abril 2010

6 comentários:

Ark disse...

Quer dizer que a infabilidade dos papas é uma conversa fiada?

Brother Pius [V] disse...

Não, meu caro Ark, a infabidade dos Papas jamais foi, ou será, conversa fiada nesse blog... Acontece que não é porque o Papa disse ou fez alguma coisa que isso necessariamente tornará o fato ou o dito infalível.

Há uma série de fatores para que seja usada a infabilidade papal, e a terrível mudança no Rosário (composto pela própria Mãe de Deus), certamente não foi usado tal carisma.

JMJ

Unknown disse...

Quanta lógica! O Batismo de Jesus não tem nada a ver com a Redenção, a Transfiguração também não tem (Moisés estava falando o quê mesmo para Cristo?). E as bodas de Caná (a Virgem Maria nada tem a ver com isso). E a pérola do bolo: a Instituição da Sagrada Eucaristia deve ser algo que os protestantes adoram contemplar! É um esforço muito grande para ver maldade em tudo.

Brother Pius [V] disse...

Salve Maria meu caro anônimo,

Primeiramente obrigado pela crítica; ela é sempre benvinda. Mas creio que faltou-lhe ler com mais atenção o artigo.

Repare que o que foi dito e frisado é que os novos mistérios não possuem ligação "direta" com a Redenção de NSJC.

Logo, você se equivoca ao implicar que o Batismo de Jesus, Bodas de Caná ou a Transfiguração e mesmo a instituição da Eucaristia sejam "diretamente" ligados á Redenção.

Ademais, ainda que os protestantes não contemplem a Eucaristia, Nossa Senhora escolheu não ter tal instituição em seu Rosário... Será que ela errou? Será que ela precisava ser iluminada por você ou um péssimo papa de nossa Igreja (JPII)?

Portanto, se você não se ofende com uma oração divina sendo deturpada por homens, creio ser você a pessoa fazendo esforço para tapar os olhos e não reconhecer o mal aonde ele existe... Infelizmente essa é a "lógica" usada pela grande maioria de Católicos hoje em dia, não é atôa que estamos na situação que estamos.

JMJ

Unknown disse...

Realmente, eu é que estou "ampliando" o batismo,a transfiguração..etc. Se você, "ótimo católico", não consegue enxergar estreito liame entre essas características da vida de Jesus e a Redenção, provavelmente nenhum "péssimo católico" também não. Lembro aqui as lindas palavras de Maria que marianamente falou nas bodas de Caná: "fazei tudo o que Ele vos disser". Se o Papa assim quis, Vigário de Cristo na terra, nada mais sensato do que observar N. Senhora e obedecê-lo. Além do mais, 5 novos mistérios são mais 50 Ave-Marias recitadas. Está isento de qualquer lógica seu pobre artigo, escreveu uma grande bobagem e não enxerga.

Brother Pius [V] disse...

Caro anônimo, salve Maria!

Parece que você está com problemas para entender a gravidade de tamanha ousadia em modificar uma oração que nos foi dada por Nossa Senhora --em pessoa á São Domingos; passemos para seu post.

"Realmente, eu é que estou "ampliando" o batismo,a transfiguração..etc."

Não disse estar ampliando e sim não compreendendo. Se você se sente tão incomodado com a simples constatação feita por Padre Laguerrie em torno dos novos mistérios não serem "diretamente" ligados á Redenção, me pareceria lógico você ter formulado uma réplica a altura, ao invés de se fazer de vítima.

http://stdominic3order.blogspot.com/2007/02/pelaguerie-ibp-e-os-mistrios-luminosos.html

"Se você, "ótimo católico", não consegue enxergar estreito liame entre essas características da vida de Jesus e a Redenção, provavelmente nenhum "péssimo católico" também não."

Em momento algum impliquei "ótimo ou péssimo" em nossas postagens, apenas postei dois artigos, um de um padre e outro de um Dominicano terceiro, aonde o 'sensus catholicus' seria o bastante para, ao menos, levar tais artigos em consideração.

"Lembro aqui as lindas palavras de Maria que marianamente falou nas bodas de Caná: "fazei tudo o que Ele vos disser".

Mas aí que está! Ela ordenou empregados a fazerem o que Jesus ordenava; da mesma forma Ele ordenou-a ir até São Domingos para entregar-lhe o Rosário para que o mesmo fosse espalhado como devoção essencial. A obediência é hierárquica e em prol de um bem.

"Se o Papa assim quis, Vigário de Cristo na terra, nada mais sensato do que observar N. Senhora e obedecê-lo."

Mas o papa não está acima de Nossa Senhora. Observar o papa, nesse caso, seria desobedecê-la, e vice-versa.

"Além do mais, 5 novos mistérios são mais 50 Ave-Marias recitadas."

Exato, sendo assim teríamos 200 Ave Marias no novo Rosário, correto? E se você se lembra, em Fátima, Nossa Senhora nos exortou a rezar ao menos o Terço (1/3) diário, não é mesmo? E como/quanto seria um Terço (1/3) de 200 Ave Marias? Faça as contas você próprio.

"Está isento de qualquer lógica seu pobre artigo, escreveu uma grande bobagem e não enxerga."

É uma pena que você não tenha trazido nenhum argumento que suporte seu vazio e gratuito ataque.

JMJ