25/06/2011

O que devemos pensar do Novo Catecismo da Igreja Católica (1992)?


Essa pergunta ilustra as fundamentais diferenças entre a Fraternidade Sacerdotal São Pio X e os "tradicionalistas" conciliares ou conservadores. Esses últimos são frequentemente vistos defendendo tanto a Missa em Latin, como o "novo" Catecismo; mas não atacam abertamente nem o Novus Ordo Missae nem o Vaticano II. A Fraternidade Sacerdotal São Pio X, por outro lado, defende o Catecismo Tradicional e consequentemente a Missa Tradicional em Latin, e, portanto, ataca o Novus Ordo Missae, Vaticano II e o "novo" Catecismo; pois todos esses minam, em maior ou menos grau, nossa imutável fé Católica.

Conservadores defendem o (novo)Catecismo da Igreja Católica por sua reafirmação dos ensinos silenciados ou rejeitados pelos escandalosos catecismos modernistas; já a FSSPX o rejeita porque tal catecismo é uma tentativa de formalizar e propagar os ensinos do Vaticano II. O Papa João Paulo II concorda com isso:

O Catecismo, também, foi indispensével (1), para que toda a riquesa do ensino da Igreja seguindo o Concílio Vaticano II pudesse ser preservado numa nova síntese e ser dado uma nova direção.(2)

Basta-nos considerar as 806 citações no novo catecismo retiradas do Vaticano II, um número que alcança a média de uma citação a cada três parágrafos e meio ao longo dos 2,865 parágrafos do catecismo.

As novidades do Vaticano II aparecem, particurlamente, nos parágrafos abaixo:

* Infectado com a dignidade do homem (§§225; 369; 1700; 1929...),

* a tal ponto que devemos ter esperanças quanto a salvação de todos os batizados (§§1682ff),

* ou mesmo não-Católicos (§818)

* ou daqueles que cometam suicídio (§2283),

* e de todos os não-batizados, seja adultos (§847),

* ou bebês (§1261)

* no qual é a base de todos os direitos (§§1738; 1930; 1935) incluindo o da liberdade religiosa (§§2106ff)

*e o motivo de toda moralidade (§1706; 1881; 2354; 2402; 2407; etc.),

* o comprometimento com o ecumenismo (§820f; 1399; 1401) porque todas as religiões são instrumentos de salvação (§§819; 838-843; 2104),

* colegialidade (§§879-885),

* ênfase exacerbada no apostolado dos fiéis (§§873; 1547; 1140ff, etc.),

Agora, assim como aquele que rejeita um só artigo de Fé perde a Fé, assim também ocorre com o professor que erra em um só ponto e se mostra falível, pondo assim o seu ensino em questão.

Assim como o Concílio Vaticano II não é autoridade para se mencionar mesmo aonde se propõe o ensino Católico (pois não se faz infalivelmente, nem claramente), esse catecismo não é uma autoridade do credo Católico por causa dos modernos desvios que ele contém.

Aqueles que defendem esse catecismo estão apoiando as inovações do Vaticano II.



(1) i.e., assim como no novo CDC 1983
(2) Papa João Paulo II, Crossing the Threshold of Hope, London, Jonathen Cape, 1994, p. 164.

Most questions asked about the Society of St. Pius X, (pags. 57 e 5); Angelus Press.

Um comentário:

Ana Maria Nunes disse...

E vem comemorações em 2012!